Em Hyouka acompanhamos o clube de literatura clássica de uma escola secundária. Mas literatura de todo não se vê ao longo de toda a série. Na verdade, o que vemos é a resolução de mistérios, pequenos mistérios do dia-a-dia que parecem insignificantes mas que ganham proprorções espantosas por serem resolvidos.

O Oreki Houtarou é um tipo minimalista. Vive de acordo com a sua regra de mínima energia gasta: ou seja, poupar o máximo de energia e fazer apenas as coisas estritamente necessárias. No entanto, esta sua regra vai ser abalada pela Chitanda Eru e pela sua curiosidade sem limites. A Chitanda é o oposto do Oreki, é emocional, curiosa e entusiasma-se com pequenas coisas. Para tudo o que acontece de inesperado, ela vai querer saber a razão por trás.

E ela vai descobrir que o Oreki tem um grande dom: o raciocínio. Com algumas pistas, o Oreki consegue analisar qualquer situação e deduzir respostas em tempo record.

A review pode conter spoilers.

O clube nã é composto só por estes dois. Também temos o Satoshi, o melhor amigo do Oreki, e a Ibara. O Satoshi também tem a sua própria regra e o seu próprio dom. O seu dom é ser uma autêntica base de dados e a sua regra prende-se com a dedicação quem tem a cada coisa. Já as características da Ibara são o seu feitio dificil e o facto de gostar do Satoshi.

Juntos, vão resolver pequenos mistérios de tipo variado e vão mudar, pouco a pouco, adaptando-se uns aos outros.

Muito sinceramente, adorei esta série. É precisamente este o tipo de anime que eu mais gosto, calma, inteligente, com bom desenvolvimento da personalidade das personagens e, claro, com uma excelente animação. Além disso, esta série surgiu numa altura em que precisava mesmo de uma série assim, que me lembrasse do quanto eu gosto de anime. Por isso, a nota que vou dar poderá parecer exagerada, mas não nos podemos esquecer que a avaliação é também emocional e, ainda que admitamos que se calhar objectivamente a série não é perfeita, para nós pode ter sido.

A animação está excelente, muito fuída e pormenorizada. O design é aquele a que a Kyoto Animation já nos tem habituado e é dos meus estilos preferidos em anime. Gosto da aparência das personagens principais. Os rapazes estão distintivos, sem serem nem femininos nem confundíveis com todos os outros de anime. A Chitanda está ao mesmo tempo simples, pois não deixa de ser uma entre muitas raparigas de secundário, mas distinta e bonita. Basicamente, é o cabelo negro e os olhos lilases. A Ibara é propositadamente mais simples que a Chitanda, mas também tem a sua graça.

História (9)

Animação (10)

Som (9)

Personagens (9)

Entretenimento (10) => Total 10