K-project, ou simplesmente K, passa-se num mundo futurista. O protagonista, Isana Ysahiro anda numa escola enorme numa ilha em plena baía de Tóquio, acessível por um comboio. Ele não bate muito bem da cabeça, parece que vive num mundo só dele. mas é social e dá-se bem com toda a gente, ainda que não seja próximo de ninguém.

Fora da escola, andam atrás dele um gang e o que aprece uma força policial. E esta gente sabe mexer-se e tem poderes mágicos. Ele acaba por ser salvo por um tipo com uma katana. O Yashiro está envolvido numa luta de Reis e consta que matou alguém.

Para falar da história ainda é cedo, ainda só se percebeu que andam todos a tentar limpar o cebo ao protagonista.

Das personagens posso dizer que o Yashiro é maluquinho, mas há muitas outras personagens com imenso potencial. O gang está cheio de pessoal interessante, incluindo um tipo que anda de skate com um bastão de basebol, uma menina gótica e o chefe ruivo de ar badass. Na polícia são bastante mais arranjadinhos e têm um uniforme militar. O Kuro, o tipo da katana, é um pouco afiminidado, espero que não exagerem nessa parte. De resto, tem uma katana, o que é sempre um ponto a favor.

A animação está muito boa. Gosto do design e dar cores, mas principalmente gosto das cenas de acção. A perseguição de skate está muito bem animada e foi o que me prendeu mais.