O Kyouhei vem de uma aldeia com um estranho segredo. Nessa aldeia algumas pessoas – os seki – têm o poder de controlar criaturas a quem chamam de deuses. O santuário da vila é a instituição com mais poder e todos lhe obedecem cegamente.

O Kyouhei estava farto de tudo isso e portanto veio estudar para uma universidade em Tóquio. Na capital também está uma amiga sua de infância, que o ajuda a instalar-se. O entanto, um seki perigoso que se encontrava preso da aldeia foge assim que sabe que o Kyouhei se foi embora. Persegue-o até Tóquio e agora será a irmã mais nova de Kyouhei que terá que o proteger.

Não é uma ideia muito original ter humanos que controlam deuses com aspecto de mechas. Uma família super poderosa que protege o segredo e o principal está farto de tudo isso. Vai viver para casa da sua bem desenvolvida amiga e acaba por a envolver nas batalhas.

Pelo menos as personagens são adultas, com a excepção da irmã mais nova de Kyouhei que é o elemento moe da série. O design é adulto e simples e os cenários são pouco desenvolvidos e nada de espectaculares. Achei todo o episódio um pouco aborrecido. A melhor parte foi a inicial, com o pessoal universitário bêbado e a rir.