O primeiro episódio de Kamisama no Memochou é um episódio especial com o dobro da duração de um episódio normal.

O Narumi não se costuma envolver com as pessoas, pois passou toda a vida a mudar de sítio tem ter tempo de estabelecer realções. Agora que começou o ensino secundário numa escola em Tóquio, uma rapariga chamada Ayaka não o vai deixar viver isolado. É forçado a juntar-se ao seu clue de jardinagem e a conhecer os seus amigos.

Enquanto a Ayaka trabalha num restaurante de ramen, os seus amigos formam um grupo de investigação NEET. O Narumi é subitamente envolvido quando conhece Alice, a detective NEET líder do grupo. A Alice é uma hikikomori que vive dentro de uma sala equipada com diversos computadores, écrans e animais de peluches. Utiliza a internet para vigiar o mundo e resolve os casos reunindo a informação nesta sala. O resto do grupo faz o trabalho de campo: temos um desistente da escola, um gigolo e um viciado em jogos de sobrevivência.

A premissa faz-me lembrar Gosick mas com tecnologia. Uma rapariga com inteligencia e capacidades dedutivas acima do normal resolve casos com a ajuda de assistentes que reunem informação. As personalidades das várias personagens são interessantes, portanto poderá ser uma boa série. O andamento é muito rápido e os diálogos também. Os elementos de comédia vêm das particulaidades inesperadas das personalidades das personagens.

A J.C. Staff apresenta-nos o que melhor sabe fazer em animação, com cenários detalhados e boas cores. O design lembra-me o das séries To Aru.