Mais uma temporada que termina. Foi uma temporada agradável, com algumas suspresas mas também com algumas desilusões.

1º terço 

A Channel – 7
Ano Hi Mita Hana no Namae wo Bokutachi wa Mada Shiranai – 9
C – 7
Oretachi ni Tsubasa wa Nai – 8
Softenni  – 4

Estas reviews são a minha opinião e não representam a opinião geral dos membros do blog animette. Notas de 1 (mínimo) a 10 (máximo). Pode conter alguns spoilers.

A Channel

História (5) – A Channel é uma série do tipo moeblob em que temos quatro raparigas moe a fazerem a sua vidinha normal. Não tem qualquer enredo ou história, é apenas o dia-a-dia das quatro raparigas com personalidades mais ou menos peculiares, ou seja, um slice of life. Tem sido muito comparado a K-ON!!, apesar de ser bastante inferior e não ter a parte da banda. O princípio é realmente o mesmo: as meninas vão á escola, as meninas vão á praia, as meninas fazem uma festa de halloween, as meninas estudam para os exames, etc. O ritmo é, no entanto, muito mais lento, as personagens não são nem de perto nem de longe tão interessantes, os momentos retratados são demasiado normais e o humor não é tão forte.

Animação (8) – A animação é bastante cuidada e os cenários são desenhados com pormenor e boas cores. Tudo tem muito bom aspecto, talvez tirando as perninhas finas demais das raparigas. Perde pontos pelo ritmo lento da própria história.

Som (7) – A banda sonora não é surpreendente nem interessante. O trabalho dos seiyuus é bastante normal no seu esforço para ser moe.

Personagens (7) – As personagens são praticamente apenas quatro. A Run é a heroína default: trapalhona, bonita mas com ar de menina, aluada e adorada por todos. A Tooru é a que teria mais fãs se a série fosse boa: é a mais nova e é altamente protectora da Run ao ponto de correr com os rapazes com um taco de baseball, é muito pequena e magra, tem excelentes notas e é adorável uma vez passado o mau feitio. A Nagi é a mais discreta e menos a interessante: é a que tem mais bom senso e a mais normal. A Yuuko é um downgrade da Mio: além do físico ser parecido e de todos apreciarem o seu corpo de modelo, tem medo de fantasmas e é sempre a vitima das partidas. Para além das quatro meninas temos apenas duas colegas da Tooru, autênticas stalkers, uma professora e um enfermeiro. Com tão poucas personagens, era de se ter desenvolvido mais as principais. Não houve, no entanto, qualquer evolução.

Entretenimento (7) =>Total 7

 

Ano Hi Mita Hana no Namae wo Bokutachi wa Mada Shiranai

História (9) – Um grupo de seis amigos desfaz-se-se com a morte de um deles, a pena e adorável Menma. Com sentimentos complicados de amor e ódio entre eles, o grupo separa-se e cada elemento cresce com um trauma associado à morte da Menma. Agora que já estão no secundário, o lider do grupo que degenerou em hikkitomori começa a ver o fantasma de Menma. A princípio pensa que é apenas uma ilusão na sua cabeça, mas pouco a pouco vai-se tornando evidente que Menma está mesmo lá. Ela não pode avançar para o outro mundo sem que um desejo seu seja realizado e vai precisar do grupo todo reunido de novo para o fazer.

Uma história um tanto bittersweet, de amores não correspondidos, de amizade e de perda. Está contada de uma forma muito forte e realista em que o espectator se envolve com as personagens e fica a conhecê-las bem.

Animação (9) – A animação é muito forte e acompanha perfeitamente os sentimentos da história. O design é muito agradável e os cenários têm detalhe e realismo.

Som (8) – Bom trabalho dos seiyuus a dar vida a estas personagens. Gostei particularmente do trabalho da Ai Kayano a dar vida à Menma.

Personagens (10) – As personagens têm personalidades realistas e sofrem evoluções desde a infância até à actualidade. A Menma é a primeira personagem a ser notória. É um fantasma que apenas cresceu em aspecto, continua como uma criança alegre e bondosa. Gosta de toda a gente e quer que todos se dêem bem. Aprecia as coisas do mundo e fornece bons momentos de comédia. O Jintan é o seu oposto. Anteriormente o líder do grupo, ficou completamente preso no passado pois considera-se em parte culpado pela morte da rapariga de quem gosta. Vai ser preciso muito para voltar a ser o rapaz decidido e que todos seguiam que era, uma vez que agora não passa de um cobarde. A Anaru era a menina feia de amor não correspondido que se tornou na mais bonita do grupo. Também ela acredita ter culpa na morte da Menma mas não consegue evitar tentar fazer tudo para que o Jintan olhe para ela. O Yukiatsu é o rapaz que sempre teve inveja. Inveja de não ser o líder e inveja de não ser por ele que a Menma estava apaixonada. Cresceu para um rapaz inteligente e manipulador e completamente obsecado por uma rapariga morta. A Tsuruko era a menina certinha que não conseguia a atenção do Yukiatsu. Tornou-se numa rapariga inteligente e mordaz, aparentemente fria mas cheia de frustrações. Por fim, o Poppo é dos que menos mudou. Era o rapaz cómico e gordinho, que admirava o líder e que, como a Menma, gostava de toda a gente. Depois da morte dela, largou tudo para ir conhecer o mundo mas acabou novamente a base secreta do grupo.

Entretenimento (9) =>Total 9

 

C

História (6) – No mundo de C – The Money of Soul and Possibility Control existe em cada país ou região importante um centro financeiro numa dimensão paralela. Nestre centro financeiro, os empreendedores recebem dinheiro em troco do seu futuro e são obrigados a ter duelos em que se realizam transacções. Cada empreendedor possui um asset que é a forma fisica do seu futuro. Com os seus assets, eles lutam entre si. O vencedor enriquece a sua conta e o perdedor perde parte do seu futuro como efeito colateral. Esta perda pode significar a perda de objectos, de inteligência ou até de pessoas – filhos, esposa ou maridos, amigos. O dinheiro proveniente deste centro financeiro circula normalmente no mundo real e apenas os empreendedores reconhecem as notas especiais.

É uma ideia curiosa, mas muito mal explicada. Mesmo aceitando a possibilidade de um centro financeiro noutra dimensão, não é aceitável a entrada de dinheiro no mundo real sem uma explicação para o mundo real. Também não é explicado qual é a origem deste centro nem o seu objectivo.

A série acaba por se tornar num debate um tanto filosófico sobre qual é a melhor forma de proteger o mundo: proteger o presente ou o futuro. Uma grande crise financeira abate-se sobre a Asia, e uma crise assim pode representar o desaparecimento completo de uma cidade ou mesmo um pais, e os seus efeitos propagam-se para os outros centros financeiros num fenómeno chamado C. A forma como o Japão vai reagir ao C vai ser discutida entre os empreendedores.

Animação (7) – A animação não tem nada de especial. Os cenários são aborrecidos e pouco variados. O design não tem caracteristicas distintivas.

Som (8)

Personagens (7) – O Kimimaru é um estudante universitário de economia que é tornado um empreendedor. Antes de tomar uma decisão sobre qual a posição a tomar, vai consultar muitas pessoas e ouvir muitas ideias, o que é algo de sensato. Pode parece um pouco indeciso a princípio, mas penso que a pergonagem foi bem desenvolvida. O seu asset é a Msyu, que é o elemento fofo da série. É a boa rapariga, um pouco tempestiva, que quer ir sempre ir á luta. O Mikuni é um jovem empreendedor e homem de negócios com muito poder e ideias muito definidas acerca do centro financeiro. Fundou uma guilda para controlar os efeitos do centro no mundo real, mas tenciona proteger o presente em detrimento do futuro. O seu asset é a Q, que parece uma menina pequena e calma, mas fica totalmente psyco numa luta. Por fim, a Jennifer pertence a uma organização que tenciona acabar com o centro financeiro e com a sua influência no mundo real.

Entretenimento (7) =>Total 7

 

Oretachi ni Tsubasa wa Nai 

História (8) – Esta série está na maioria dos sites com umá péssima cotação e é uma adpatação de um eroge, portanto devem estar a estranhar uma nota tão alta. Espero ser capaz de explicar, pois penso que as más cotações devem-se a desistencias cedo demais!

Oretachi ni Tsubasa wa Nai é a adaptação do jogo com o mesmo nome da empresa Novel, criadores de Shuffle. Esta história, no entanto, não é um harem. É impossível explicar sem ter muitos spoilers, mas vou tentar não revelar demais: O nosso heroi tem multiplas personalidades. Para além da sua original, tem pelo menos mais quatro. Três delas são recorrentes e ocupam os espaços da manhã, da tarde e da noite. Tudo isto, naturalmente, porque a verdadeira está trancada nas profundidades da mente devido a um trauma. Cada personalidade diferente tem ao seu próprio modo de ser e até têm idades diferentes. Dão-se em circulos de amigos diferentes e cada uma tem uma rapariga por quem está apaixonada. No entanto, não é uma história de amor e pouco se avança nesse sentido. A história explora o dia a dia de cada personalidade e a tentativa da irmã mais nova de recuperar o seu irmão original.

É um conceito bastante complexo e muito diferente do que é normalmente tratado num eroge. A história é contada de uma forma um pouco confusa a principio, quando ainda não se sabe que são diferentes personalidades da mesma pessoa. O ínicio de cada episósio tem por vezes pequenas gags que são apenas cómicas que não ocorrem realmente na história, o que também pode baralhar um pouco.

Tem bastante ecchi o que é um ponto contra, visto que é demasiado utilizado como piada e que era escusado de acontecer também com uma loli. Mas eu consigo apreciar uma série abstraindo-me disso. Penso que foi uma ideia bastante original e gostei de como as coisas se resolveram.

Animação (7) – A animação é razoável, mas não muito forte. O design é interessante e as cores reflectem demasiado.

Som (8)

Personagens (7) – A série tem muitas personagens, o que também pode ajudar para a confusão inical. As personagens principai são as três principiais personalidades e quatro raparigas. O Takeshi é a personalidade mais jovem, com a mesma idade da personalidade original. É um estudante do secundário muito calmo e gentil. Sofre de um estranho mal que o faz frequentemente ir para um mundo de fantasia em que é um heroi de um país e tem que combater em nome da princesa. A Asuka é a sua namorada e é uma rapariga decidida e acelerada, mas que compreende o Takeshi e o seu problema. O Shuusuke é a personalidade mais descontraída. É um jovem adulto que tem vários trabalhos em part-time, incluindo escrever reviews de livros e trabalhar num café chamado Alexender. A Hiyoko é uma escritora que também trabalha no Alexender. O seu primeiro encontro com o Shuusuke não correu muito bem, pelo que começa por antipatizar com ele. O Hayato é a personalidade da noite. É agressivo, tem uma forma de falar dura e cheia de asneiras, e está envolvido em confusões com gangs e grupos noturnos. No entanto, as suas barreiras caem com a jovem espevitada Naru que o contracta para encontrar a sua bicicleta. A Naru fala pelos cotovelos, é alegre e faz-se ao Hayato a toda a hora. Por fim temos a calma Kobato, que espera pacientemente que o seu verdadeiro irmão regresse.

Existem muitas personagens secundárias, entre estudantes, trabalhadores do Alexender e os elementos dos gangs.

Entretenimento (8) =>Total 8

 

Softenni

História (4) – Em Softenni vemos o clube de soft tennis no seu dia-a-dia. São cinco raparigas que provavelmente não fazem mais nada da vida para além de jogar. Duas delas estão apaixonadas pelo treinador e nenhuma tem uma personalidade normal.

Não esperem ver jogos, técnicas ou qualquer evolução nas capacidades ou na personalidade das raparigas. Não há história. Nem sequer há um campionato. É slice of life de comédia puro e não tem lá muita graça. O ecchi que tem é pouco e utilizado como gag e com marcas de censura gigantescas.

Uma série que de todo não vale a pena, não tem nenhum elemento que seja digno de se perder tempo. Pelo menos, não é odiável nem péssima, é apenas totalmente inutil.

Animação (6) – A animação é muito fraca e simples. Tudo é altamente simplificado, desde o design aos cenários, passando pelos próprios movimentos. Apostam muito nas cores vivas e esperam que isso baste para que seja visualmente agradável.

Som (6)

Personagens (4) – Quando uma série não tem história, tem que ter personagens que segurem o espectador. No entanto, também aqui a série falha, pois as personagens não são irritantes mas também não são minimamente interessantes. A Asuna é alegre e completamente prevertida. A Kotone é atlética e quer levar tudo à frente. A Chitose é a senpai sensata que não acerta numa bola e é obsecada por comida, por caçar e por viver no mundo selvagem. A Kurusu raramente abre a boca e gosta de se mascarar. A Eri vem de Inglaterra e persegue o treinador.

Entretenimento (5) =>Total 4