O Izumi é um rapaz inglês que frequenta uma escola internacional numa pequena cidade japonesa. A sua paixão é a ginástica e está ansioso pelas férias para poder practicar para o próximo campeonato. No entanto, quando vai a sair da escola a brincar ao parkour cai numa outra dimensão.

Nesta dimensão, ele é o herói invocado pela princesa da Républica de Biscotti para lutar contra os invasores do país. Mas a guerra neste mundo é muito civilizada. Os oponentes tentam entrar no castelo passando obstáculos e armadilhas e enfrentando os guardas. Quem é atingido transforma-se numa bola com forma de gato… e ninguém morre ou se aleija gravemente. É o local perfeito para o Izumi praticar.

O visual (e a música de abertura) lembram o de Lyrical Nanoha, o que é o elogio. No entanto, temos um ambiente medieval com cenários verdes e bonitos e personagens adoráveis com orelhas e caudas de cão. Os soldados figurantes são pouco definidos, mas é a única crítica que faço à animação.

Há que dar alguns pontos pela forma absolutamente ridícula com que apresentam a guerra como uma espécie de jogos sem fronteiras, com apresentadores e tudo. É bastante mais divertido do que esperava. Não se prevê uma grande história, apenas uns pinotes e abilidades engraçados. Para dispor bem e para quem precisa de uma boa dose de moe.