Yamanouchi, conhecido por Kita-Kamakura graças à estação da JR com o mesmo nome, é um bairro de Kamakura situado na zona exterior da cidade. È um bairro pequeno, mas muito famoso por ser um bairro com ambiente tradicional e pela presença de importantes templos budistas.

O Engaku-ji é um dos templos mais importantes do Japan e o número 2 de Kamakura. Foi fundado em 1282 por um monge chinês. A sua famosa porta principal foi totalmente feita em carpintaria, sem que tenha sido utilizado um único prego.

Foi o primeiro templo budista que visitámos e tivemos logo a sorte de assistir a um treino de arco e flecha japonês. A paisagem em volta é muito bonita, pois o templo sobe pela montanha pelo meio do verde, numa zona muito pouco populada. O problema disto é que os caminhos são sempre inclinados. Com o calor que estava, o templo foi visitado sempre a subir!

No topo de umas escadas encontra-se ainda um grande sino, com 2,5 m de altura, que é o maior de Kamakura e considerado um tesouro nacional. Só toca no ano novo.

O Meigetsu-in é um templo mais pequeno, conhecido como o templo das hortênsias. Possui uma pequena floresta de bambu e no início do verão cobre-se de hortênsias. Infelizmente, só encontrei uma! Decididamente, se algum dia voltar ao Japão, espero fazê-lo na primavera.

Este templo foi fundado em 1383 e é conhecido pelos seus jardins. Tem um exemplo de um jardim seco japonês e tem também um jardim interior que só é aberto ao público durante um período da primavera.

Um dos símbolos do templo é ainda o coelho e havia várias pequenas estatuetas de coelhos espalhadas pelos caminhos.

E assim se passou uma manhã de calor num ambiente mais rural e tradicional, rodeados de verde, borboletas e turistas japoneses. Ainda encontrámos alguns ocidentais, mas muito poucos. A maioria do turismo japonês é doméstico e é muito engraçado ver as japonesas com meias compridas, luvas a tapar os braços e segurando sombrinhas a passear enquanto eu morro de calor nos meus calções e top.